Investigadores Descobriram Associação entre Bactérias Orais e o Cancro do Esófago.

A descoberta representam a primeira evidência direta de que Porphyromonas gingivalis poderá ser um fator de risco para cancro do esôfago.

Publicado em: 21/03/2016

Os resultados, publicados recentemente no Infectious Agents and Cancer, mostram que  Porphyromonas gingivalis  se encontra em 12 % dos tecidos adjacentes às células cancerosas, enquanto que esta bactéria não foi detetado em tecido esofágico normal.

Segundo Huizhi Wang, MD, Ph.D., professor assistente da imunologia oral e doenças infeciosas da University of Louisville School of Dentistry.  "Estes resultados fornecem a primeira evidência direta de que a infecção por Porphyromonas gingivalis  poderá ser um novo fator de risco para ESCC, e também pode vir a servir como um biomarcador de diagnóstico para este tipo de cancro. Se os dados se confirmarem, com  a erradicação de um patógeno oral comum  poder-se-á contribuir para a redução de um número significativo de pessoas afetadas com ESCC."

O esôfago  é forrado com dois tipos de células e portanto  existem dois tipos principais de cancro de esôfago:  o adenocarcinoma e o carcinoma de células escamosas. Este último é mais comum em países em desenvolvimento.

Em colaboração com a College of Clinical Medicine of Henan University of Science and Technology in Luoyang na China, Wang e seus colegas da  University of Louisville School of Dentistry,  Richard J. Lamont, Ph.D., Jan Potempa, Ph.D., D.Sc., e David A. Scott, Ph.D., testaram amostras de tecidos de 100 pacientes com ESCC e 30 pessoas sem patologia para controlo.

De acordo com Wang, há duas explicações possíveis: ou as células ESCC são um nicho preferido para a Porphyromonas gingivalis prosperar ou a infecção provocada pela Porphyromonas gingivalis facilita o desenvolvimento de cancro de esôfago.

Para o Professor  Wang:  "Se a Porphyromonas gingivalis causa cancro , as implicações são enormes",  sugere que a melhoria da higiene oral pode reduzir os risco de ESCC, e que a  triagem de  Porphyromonas gingivalis na placa dentária pode identificar indivíduos suscetíveis, e usando antibióticos ou outras estratégias anti-bacterianas pode-se- á impedir a progressão do ESCC".

De acordo com o Centers for Disease Control, cerca de 15.000 pessoas nos Estados Unidos são diagnosticados com cancro do esôfago anualmente. Tal como acontece com a maioria dos diferentes tipos de cancro, existem  diversos factores de risco, incluindo a exposição química, dieta, idade e a hereditariedade. É  difícil de diagnosticar esse tipo de cancro precocemente, e é caracterizado pela rápida progressão e mortalidade elevada.

 

Fonte:  Universidade de Louisville. "Researchers find association between oral bacteria and esophageal cancer: Findings represent the first direct evidence that P. gingivalis could be a risk factor for esophageal cancer."  ScienceDaily. 26 de fevereiro de 2016.